Quem somos?

A Fundação Rei Afonso Henriques Hispano-Portuguesa é uma Instituição Privada com Participação Pública, criada por escritura pública a 7 de Fevereiro de 1994 e inscrita no Registo de Fundações de Espanha pelo despacho n.º 26379 de 31 de Outubro do mesmo ano e publicada no Diário da República de 29 de Novembro de 1994 e em Portugal, pela Portaria nº 17/96 do Ministério da Administração Interna e publicada no Diário da República com o nº 71/96 de 23 de Março.

 

A Fundação foi reconhecida em Portugal como Fundo Coletivo de Utilidade Pública através do Gabinete do Primeiro-Ministro publicado no Diario de la República; 2ª série nº 29 de 4 de fevereiro de 1999.

 

A 25 de Julho de 1995, a Fundação Rei Afonso Henriques teve a honra de ser reconhecida com o Alto Mecenato do Presidente da República de Portugal.

 

O Conselho de Curadores é o órgão máximo da Fundação, o órgão de direção e administração; É estatutariamente constituída por pessoas singulares e colectivas e composta por empresas, associações, organismos públicos, universidades e entidades supranacionais e regionais de Espanha e Portugal.

Descarga
Estatutos
Estatutos.pdf
Documento Adobe Acrobat 5.9 MB

Nossa história

Em 1994, um grupo de particulares e representantes de instituições públicas e privadas de Espanha e Portugal ligadas ao mundo da cultura e dos negócios juntaram-se para criar a FRAH. Nessa altura, é constituída a instituição que, conforme verificamos anteriormente, expressará o seu reconhecimento oficial em Espanha e em Portugal através dos canais legais regulamentares.

 

A partir desse momento é criada a Estrutura Orgânica da FRAH, aprovados os seus Estatutos, elaboradas as medidas do seu Regime Interno e definidos os seus fins e objectivos.

 

Finalidades e objectivos que são nâo só contribuir para o bem-estar das populações de toda a Bacia Hidrográfica do Douro, como também como aprofundar as relações culturais, sociais e económicas entre o Norte de Portugal e a Comunidade de Castela e Leão.

 

Para tal, será desenvolvido um conjunto de iniciativas e projectos que terão como objectivo permear a zona frontereiça e trazer, através do conhecimento mútuo, as realidades das áreas geográficas descritas.

 

Para a realização de todas as suas actividades era imprescindível um espaço emblemático, pelo que se chegou a acordo para adquirir, reabilitar e apetrechar o antigo Convento de São Francisco ExtraPontem na cidade de Zamora, um espaço privilegiado apto para o desenvolvimento de todos as iniciativas que a Fundação realiza. A soma das forças do Conselho Provincial de Zamora, da Junta de Castilla y León e da União Europeia através do seu programa INTERREG II fez com que a sede da Fundação se tornasse uma realidade.

 

O Conselho Provincial de Zamora, proprietário do Edifício, cedeu-o à FRAH para a realização dos seus objectivos fundadores, inaugurando-o a 31 de Outubro de 1998 com a presença de representantes da União Europeia, a Junta de Castilla y León, o Governo Provincial de Zamora e todos os membros que então faziam parte do Conselho de Administração da Fundação.

 

Como instituição binacional, a FRAH tem sede na cidade de Bragança em Portugal.

 

Durante esses anos, a FRAH realizou inúmeras atividades, conforme refletido nos seus Relatórios Anuais. Actividades que contaram com o apoio do seu Conselho de Curadores e da União Europeia através de vários programas de carácter económico, social ou cultural.

 

 

PATROCÍNIO:

 

O Conselho Curador é composto por um Conselho Geral de Fundadores e pode constituir uma Comissão Executiva Delegada, uma Comissão Delegada de Contas e outras Comissões Delegadas, com as funções estabelecidas em cada caso. O Conselho de Curadores também pode estabelecer um Conselho de Honra.

 

 

Membros do conselho

 

 

* Página escrita com a ortografia anterior ao Acordo Ortográfico de 1990.